O Brasil possui vasta diversidade de etnias com forte influência no hábito alimentar e na cultura, particularmente no que diz respeito ao uso de plantas medicinais. A colonização trouxe ao país muitas espécies utilizadas pelos europeus e africanos que, somadas aos vegetais usados pelas populações indígenas, tornaram o Brasil um país peculiar quanto à riqueza e ao uso de plantas bioativas. No vale do Ribeira, esta riqueza é intensificada pela forte influência da cultura local e dos costumes mantidos pelas comunidades tradicionais de quilombolas, caiçaras e pela imigração japonesa, o que denominamos de “Farmacopéi Popular”.
A sociedade contemporânea vem resgatando estes hábitos. Prova disso é acrescente procura por produtos terapêuticos e fitoterápicos nos últimos anos.

O município de Ilha Comprida abriga em seu território uma vasta riqueza vegetal do bioma mata atlântica, vista pelo município como uma oportunidade para o desenvolvimento econômico. Assim, a Divisão de Econegócios realiza ações diversas de estudos de campo e pesquisas para a valorização, fixação das comunidades tradicionais com o uso sustentado da floresta, propondo planos participativos de manejo sustentado de espécies medicinais, dos quais, a carqueja, a erva-baleeira e outras.